PSOL Niterói contra flexibilização de medidas de isolamento! Confira a nota da Executiva Municipal.



A postura negacionista e anticientífica do governo Bolsonaro no combate à pandemia da Covid-19 transformou o Brasil no epicentro mundial da pandemia desde o fim do mês de fevereiro de 2021. A “asfixia dos brasileiros” na tragédia de Manaus alastrou-se nacionalmente. Se, hoje, ainda não falta oxigênio, há abastecimento insuficiente de sedativos para intubação de pacientes com Covid-19 em várias cidades no Estado do Rio de Janeiro, como Duque de Caxias e a nossa capital, conforme reportagem do jornal O Globo em 15/04/2021.


Em um país marcado pela falta de vacinas e de sedativos, nos parece uma irresponsabilidade do poder público não adotar medidas de distanciamento social no auge da pandemia. Hoje, a média móvel de mortes nacional por Covid-19 está na casa dos 3.000 óbitos diários. Em 06/04/2014, há menos de 10 dias, alcançamos o recorde de mortos em um único dia. 4.211 vidas foram ceifadas.


Niterói também está no seu pior momento da pandemia. Os dados da Secretaria Estadual de Saúde do Estado do Rio de Janeiro trazem a cidade na classificação de risco mais grave. A capacidade dos leitos de UTI estão casa dos 82% e e Secretário Municipal de Saúde tem alertado a dificuldade com insumos, confirmada por relatos de trabalhadores da saúde. Estamos também há dias batendo recordes nas médias móveis de óbitos, de 5,8 no dia 15/4, e de novos casos diários, que quadruplicaram nos últimos dias nas suas médias móveis, chegando a 220, segundo os dados disponibilizados nos boletins diários da própria Prefeitura.

Compreendemos o direito ao trabalho daqueles que estão afetados em suas atividades pelas necessárias medidas de distanciamento social. Por isso é fundamental que o governo municipal garanta os auxílios necessários para uma política eficaz de fechamento temporário de atividades na cidade para contenção da proliferação do virus. É necessário portanto auxílio aos trabalhadores, com atualização do cadastro das pessoas que precisam, conforme proposta da bancada do PSOL na Câmara Municipal, especialmente para que as pessoas mais vulneráveis socialmente possam fazer o isolamento. Sem isso, não teremos uma diminuição substancial da proliferação vírus para que uma abertura possa se dar de forma mais segura.

Não podemos concordar com reaberturas que não levem em consideração a saúde pública e a vida. Se estamos no auge da pandemia, cabe ao poder público em suas esferas federal, estadual e municipal, garantir o acesso à renda diante do colapso sanitário da pandemia. Em razão disso, é inaceitável a postura do governo Axel Grael em flexibilizar as medidas de distanciamento social, nesta semana de recorde de casos diários e óbitos. Por isso, o PSOL Niterói tem defendido que as vidas estejam em primeiro lugar, levando em conta que as políticas de isolamento devem vir juntas com políticas de impacto no auxílio às famílias.

17 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo