08 razões para ser contra a educação domiciliar


Recentemente a Alerj discutiu o Projeto de Lei 460/2019 que dispõe sobre Educação Domiciliar. No PL estava escrito “modalidade de ensino sob a responsabilidade dos pais ou tutores responsáveis pelos estudantes” e na justificativa “possibilita um ambiente especializado para crianças com deficiência, que frequentemente não recebem o necessário amparo, tanto de instituições públicas quanto privadas”.


O ensino domiciliar é uma forma de criminalização da educação e essa tem sido a marca do atual governo demonstrada em diversas manifestações no sentido de desvalorizar a educação pública, criminalizar o trabalho dxs educadorxs e desprestigiar a escola. Além do mais é também uma forma do governo colocar a obrigação de educar na conta das famílias, por motivos ideológicos, econômicos e políticos. Essa forma de educação terá como consequência ‘bolhas’ de conhecimento, contribuindo para a intolerância e aprofundamento da fragmentação social. Pretender que as crianças tenham seus aprendizados exclusivamente no circuito família fere o direito constitucional à educação, por isso foi proibida pelo Supremo Tribunal Federal no ano de 2018.


Defendemos que a Educação deve ser papel da escola e direito de todxs como dever do Estado. A escola é o espaço que possibilita ampliação dos horizontes dxs estudantes, em contato com o conjunto do conhecimento científico, artístico, humanístico e literário da humanidade. A escola é lugar de exercício da autonomia intelectual, de ampliar oportunidades de aprendizagem, diálogo, socialização e solidariedade.


O que precisamos é que os diversos governos coloquem a educação como prioridade, disponibilizando recursos públicos para melhorar a qualidade, ampliando o acesso à escolarização, valorizando da escola pública e dxs trabalhadores da educação, assegurando condições adequadas de trabalho e de aprendizagem dxs estudantes, tendo em vista a construção de uma educação pública, gratuita, inclusiva e democrática. Filhxs se criam para viver em sociedade, e o ingresso na escola é parte dessa preparação!


A educação domiciliar:

  1. Desobriga o governo de investir em educação;

  2. Possibilita que igrejas ou outros setores façam educação domiciliar agregando famílias;

  3. Criará uma bolha de pensamento que aprofundará a intolerância, preconceitos com xs demais;

  4. Desvaloriza xs docentes e sua profissão;

  5. A proposta de “escolher” se dará num contexto que faltando vagas nas escolas, como já é comum, os governos obrigarão as famílias a assumirem a educação dxs filhxs;

  6. Provavelmente, as populações mais vulneráveis estudantes com deficiência e estudantes pobres, não terão escolha que não seja a segregação em educação domiciliar;

  7. A famílias mais vulneráveis não terão nem tempo e nem recursos para proporcionar axs seus filhxs educação domiciliar. Portanto, a educação domiciliar é uma forma aprofundar a exclusão dxs estudantes pobres, com deficiência, negrxs do espaço da Escola;

  8. A família não reúne condições mínimas necessárias para alcançar objetivos tão amplos e complexos como a educação formal na Escola.

Cadastre-se para notícias do PSOL Niterói em seu celular e email

PSOL | Partido Socialismo e Liberdade

Diretório Municipal de Niterói/RJ - Rua Doutor Celestino, 06 - Centro / CEP: 24020-091

Telefone: (21) 3619-5208 | e-mail: psol50niteroi@gmail.com

 

O conteúdo deste site foi licenciado com uma Licença Creative Commons

Atribuição-Não Comercial 3.0 Não Adaptada